Quem somos?

Minha foto
Serpa, Beja, Portugal
Somos 3 alunas do 12º ano, da área de Ciências e Tecnologias, que estamos a trabalhar, no âmbito da disciplina de Área de Projecto, o tema Alimentação e Saúde. Escolhemos este tema pois cada vez a alimentação tem um papel mais importante na nossa vida, e está intimamente ligada à saúde. Resolvemos então explorar os problemas de saúde ligados à alimentação, desde a diabetes até aos distúrbios alimentares. Esperamos com este blog esclarecer algumas dúvidas que surjam, bem como informar as pessoas dos riscos de uma má alimentação.

02/04/08

Intestino Grosso

Morfologia:



O intestino grosso inicia-se a partir da válvula ileocecal no fundo de um “saco” chamado cego, de onde sai o apêndice e termina no recto. Desde o cego ao recto descreve uma série de curvas. O seu comprimento varia entre 1,20m e 1,60m e o seu diâmetro diminui progressivamente, sendo a porção mais estreita a região onde se une ao recto, onde o seu diâmetro não passa dos 3 cm, enquanto que no cego é de 6 ou 7 cm (parte mais larga).


São diferenciáveis várias porções:



  • Cego – porção inicial do intestino grosso, que se comunica com o íleo. Para impedir o refluxo do material proveniente do intestino delgado, existe uma válvula localizada na junção do íleo com o cego - válvula ileocecal. No fundo do cego encontramos uma ponta chamada apêndice cecóide ou vermicular.

  • Cólon ascendente (comprimento de 15 cm);

  • Cólon transverso (comprimento de 50 cm);

  • Cólon descendente (comprimento de 10 cm);

  • Cólon sigmóide;

  • Recto – parte terminal do tubo digestivo, é a continuação do cólon pélvico e termina abrindo-se para o exterior pelo orifício anal. Possui geralmente 3 pregas no seu interior e é uma região bem vascularizada. Pode ser avaliado através do toque rectal, rectoscopia ou rectosigmoideoscopia.; e

  • Ânus - localizado na extremidade do intestino grosso, controla a saída das fezes.
    *Apêndice - pequena extensão tubular


Funções:


É o local de absorção de água, tanto a ingerida quanto a das secreções digestivas. As glândulas da mucosa do intestino grosso segregam muco que lubrifica as fezes, facilitando seu trânsito e eliminação pelo ânus. Fortíssimas ondas peristálticas, denominadas ondas de massa, ocorrem eventualmente e são capazes de impelir o bolo fecal, que se solidifica cada vez mais, em direcção às porções finais do tubo digestivo.



Doenças:



É no canal anal que ocorrem as hemorróidas que nada mais são que varizes nas veias rectais inferiores.


Algumas doenças do intestino grosso são:



  • Obstipação;

  • Dor abdominal;

  • Apendicite;

  • Doença divertícular do cólon;

  • Síndrome do intestino irritável ou cólon irritável;

  • Doenças vasculares;

  • Colites ( infecciosas - medicamentosas - químicas - microscópicas );

  • Pólipos do cólon;

  • Tumores do cólon e do recto;

  • Ileostomias.

Nenhum comentário: